Atravessando as Cordilheiras Dos Andes

Antes de pegar novamente a estrada e atravessar as Cordilheiras dos Andes rumo ao Atacama, tínhamos que trocar o estepe do carro. Arrumamos todas as nossas malas, tomamos nosso café da manhã e seguindo a orientação da recepcionista do hotel, então fomos até uma oficina próxima providenciar um novo estepe e duas chaves de roda.

Depois que acertarmos as pendências do carro, passamos no mercado Walmart que fica na próximo da estrada, bem próximo da saída de Mendoza, onde conseguimos comprar algumas frutas, leite, pães e queijo, para comermos na viagem e no café da manhã do próximo dia, pois não sabíamos onde íamos parar novamente.


Por volta das 10 horas da manhã, saímos do local onde estávamos e seguimos pela Ruta 7 em direção ao vilarejo Toconao (pequeno, mas muito aconchegante. Pessoal de lá recebeu a gente super bem), lá fizemos uma pequena pausa e foi nos apresentando alguns dos produtos para tratamentos caseiros que ensinam como eliminar estrias e vários problemas relacionados a pele, incluindo as  estrias e até mesmo as celulites, dentre muitos outros. Segundo o pessoal da aldeia é o melhor tratamento para estrias da região, pois tudo é feito através de ervas da natureza. Para se ter uma ideia, eles fabricam no próprio local onde essas ervas são encontradas, mas o segredo não para por ai… existem outros outros materiais naturais que combatem as estrias, porém eles não quiseram nos revelar. Logo depois de ter feito esses produtos para remoção de estrias, eles vendem para diversos empresários do ramo de beleza. Tanto no Chile como em outros países vizinhos. Caso tenha interesse em tratamentos caseiros ou queira saber mais sobre como eliminar estrias, acesse o site que eu indiquei, Pois esse é um dos sites que comercializa esses produtos.

Depois disso deixamos para trás o clima seco e todos os inúmeros perrengues que passamos durante toda a travessia das cordilheiras. A paisagem pelo caminho é muito linda… para falar a verdade é de tirar o fôlego! Não tem como descrever em palavras. As montanhas estão praticamente em todo o trajeto e nos seguiram até a chegada do Atacama, e algumas delas, mesmo sendo verão, estavam com uma grande parte coberta de neve ou pelo menos seu pico estava nevado. Algumas Paradas pelo caminho para tirar fotos foram inevitáveis, devido a exuberância do lugar.

Depois fizemos uma parada para almoçar e tentamos sacar dinheiro no próprio vilarejo, porém lá não tinha caixas eletrônicos. Então Almoçamos em um bom restaurante que aceitava cartão de crédito. Ele fica ao lado do posto YPF. É o mais próximo do local e fica muito fácil de encontrar. Pedimos arroz, feijão, batata frita, frango e salada. Esse prato Serviu duas pessoas tranquilamente e a conta ficou em aproximadamente R$ 50,00. Depois disso tentamos novamente sacar dólar no “caixa 24 horas” do Banco la Nación, que fica bem em frente ao restaurante, mas não conseguimos. Depois disso decidimos seguir viagem de qualquer forma, pois já havia tentando sacar em três locais diferentes, mas não havia conseguindo.